slid

#Papodebuchuda: A Gestação da Kil - Trombofilia e Gravidez



"Só quem já cruzou deserto, saberá chorar em frente ao mar"

Pense que coisa difícil escrever sobre esse assunto... mas cremos que servirá de utilidade para as tentantes e mulheres que planejam engravidar um dia. Sabe aquela coisa de... só sabe quem passa? Como a Kil passou, resolvemos compartilhar para que mais casos assim sejam evitados. Não sou médica, tá? rsrsrs... mas posso dizer que já pesquisei bastaaante sobre o assunto.

Pois é... assim começou a saga da Kil:

Sempre sonhei em ser Mãe, mas após passar por um fantasma chamado Aborto, tudo parecia mais complicado. Minha obstetra (com toda sua experiência) parecia que já sabia do que se tratava e desconfiou de Trombofilia. What? O que é isso? Foram minhas primeiras perguntas... Me passou uma bateria de exames e me explicou que provavelmente os nutrientes não passavam pra o bebê. Saí do consultório meio zonza e fui buscar mais no 'Pai dos Burros', quer dizer... Google!

Afinal, o que é a trombofilia? Resumindo baaastante, pode se concluir que:

"A doença é uma predisposição à trombose. Se caracterizam por alterações (adquiridas com o tempo, ou hereditárias), que fazem o sangue ficar em estado de hipercoagulabilidade. Com a 'solidificação' sanguínea, os riscos de trombose aumentam, bem como o entupimento de artérias e veias.
Na gravidez, as chances se multiplicam. As gestantes já tem um estado de hipercoagulabilidade típico da gravidez, por isso a ameaça de eventos trombóticos aumenta em várias vezes."

Essa imagem aqui, vai explicar melhor pra vocês!



Infelizmente hoje, devido à falta de conhecimento (aconteceu comigo), uma mulher só descobre a trombofilia após o aborto, ou após sofrer uma trombose de fato. Ter uma trombofilia não leva a pessoa a ter um evento trombótico. Ele só acontece quando existe o estímulo de algum fator externo.Por isso, se alguma de vocês já passaram por isso, é bom conversar com o ginecologista/obstetra sobre o assunto, apesar de muitos deles só investigarem a partir do 3º aborto (uó)!  

Corri para fazer os exames. Infelizmente são bem caros...Os que eram cobertos pelo plano de saúde, não acusaram nada, então parti para os particulares. Nem todos os laboratórios fazem e o material é enviado para fora do estado para realizar a análise. Boas notícias são que projetos de lei estão tramitando para viabilizar a identificação do problema pelo SUS (oremos)!

Quando realizei os exames particulares descobri meu problema; dois tipos de trombofilias hereditárias (sim, existem váááários tipos delas, se eu for detalhar todas aqui pra vocês, o post vai ficar enorme)! Descobri que tenho a Mutação de MTHFR e a Mutação PAI, ambas perigosas e que oferecem riscos cardíacos, além de outra gravidez interrompida :( 

Daí tu imagina minha preocupação né? Eu e meu marido passamos por provações que só Papai do Céu sabe. Mas, nossa fé em Deus era muito maior, e sabíamos que Ele ia fazer a vontade dele! Eu nasci através de um milagre e o João Pai também... com Joãozinho, Deus também vem mostrando sua bondade e fidelidade.

Bem, o post vai ficando por aqui, mas continuaremos com a história e com a 'solução do problema' que até agora com a ajuda de Deus vem dando certo! Enquanto eu escrevo aqui, o Joãozinho tá é dançando de alegria na minha barriga :) O momento final está chegando... orem por nós, amores!

Beijos e até o próximo post! Kil <3


Um comentário:

  1. Deus está no comando minha irmãzinha. Creio que assim como foi com você vai dar tudo certo com meu sobrinho também. Te amo linda!!!

    ResponderExcluir